segunda-feira, 16 de junho de 2008

"Os 10 mais Espetaculares da F1"

Por José Geraldo Gouvêa, do blog http://mundosefundos.co.nr/
Essa não é uma lista de pilotos "bons" nem de "campeões", nem de vencedores. Apenas uma lista de pilotos que davam show, que faziam assistir F1 valer a pena.

1 - John Watson (Irlanda)

Os puristas vão me crucificar ao não por Gilles em primeiro, mas o que dizer de um sujeito que larga de 17º e vence numa época em que não havia parada para reabastecimento e nem safety car para juntar os carros? Mais: um cara que no ano seguinte bate o próprio recorde largando de 22º e vencendo? Mais: um cara que larga em 26º e chega em terceiro? E que em outra oportunidade largou de 17º e chegou em 2º? Sem falar que ultrapassou três carros numa mesma volta numa pista que tinha fama pior que a de Magny Cours.

John Watson é o cara. Uma merda nos treinos, mas um gênio nas corridas. Para alegria de quem estava assistindo.
Cartão postal americano sobre o GP de Detroit de 1982... autografado pelo próprio John Watson


2 - Gilles Villeneuve (Canadá)

Teve o antológico duelo com Arnoux. Teve a condução sob chuva com o bico arrebentado. Tinha as rodadas inesperadas, como a de Jacarepaguá em 82. Teve a vez em que ficou segurando cinco carros melhores atrás de si.
Gilles é um cara que não podia ter morrido. Ele morreu e o Andrea de Cesaris ficou vivo. Quantos de vocês gostariam de fazer a troca?

3 - Andrea de Cesaris (Itália)

O rei das rodadas e batidas. Destruiu 17 carros na temporada de 82, quando correu pela McLaren (e a temporada só teve 16 corridas). Sobreviveu a um dos mais espetaculares acidentes da F1. Certa vez cometeu a insanidade de tirar da corrida o próprio companheiro de equipe e passou pelo vexame de levar uma "corrida" dos próprios mecânicos.

Apesar disso era razoavelmente competitivo e várias vezes chegou no pódio.

4 - Nelson Piquet e a Brabham

Quem não viu não sabe, mas Piquet era o cara certo no lugar certo. O "tio Bernie" e o projetista sul-africano Gordon Murray parece que ficavam caçando brechas nas regras para poderem criar alguma "levemente ilegal" que compensasse a grana curta de uma equipe intermediária. Antes de Piquet a Brabham já tinha inventado o carro ventilador, por causa do qual Andretti e Lauda quase saíram no tapa. Segundo os sites especializados Andretti reclamou com Lauda que seu carro ficava jogando sujeira para trás e Lauda, legítimo "gentleman" alpino, respondeu: "então me ultrapasse se puder ou então shut the fuck up"

Em 1981 a Brabham supostamente usou como combustível alguma coisa "que cheirava a gasolina, tinha cor de gasolina mas não era gasolina" (a imprensa vivia especulando isso).

A Brabham também experimentava tudo que fosse diferente na esperança de que fosse melhor (o que nem sempre era o caso) e Piquet usava de inteligência e malandragem para compensar a maior potência dos outros carros. Foi bicampeão por uma equipe média graças a isso.

5 - Nigel Mansell

Dispensa cometários. Mestre em ganhar corridas impossíveis e em perder outras que estavam no papo. Legítimo "gentleman", se dava bem com todo mundo (dizem que até com o Piquet, apesar da rivalidade) e tinha um carisma incrível com sua torcida. Quando venceu em Silverstone a multidão invadiu o autódromo e o carregou nos braços.

Protagonizou também um bonito episódio de espírito esportivo no GP de Dallas em 83: quando acabou a gasolina de seu carro ele se esforçou até desmaiar para empurrá-lo até a linha de chegada, enquanto era ultrapassado por outros. Muita gente ri disso, mas essas mesmas pessoas costumam chamar de "exemplo de superação" o caso da maratonista suíça em Los Angeles '84.

Nigel é um cara que faz falta à F1 de hoje

6 - Lewis Hamilton

O melhor "rookie" da História. Um piloto novato que vence a queda-de-braço com o bicampeão colega de equipe. O piloto que perde o título que estava 90% garantido graças a duas manobras bestas. O primeiro negro da F1 e o primeiro inglês a cativar a torcida de seu país desde Nigel Mansell.

Lewis vai entrar para a história da F1 como um grande nome. tomem nota disso.

7 - Vitorio Brambilla

"Encarnação anterior" -- esportivamente falando -- do Andrea de Cesaris, Brambilla conseguiu bater até na corrida que ganhou. Tá certo que seu carro, uma March laranja, não ajudava muito, mas ele era testador constante da resistência de muros e guard-rails. Ajudou a levar os mecânicos da March a um nível antes nunca visto de perícia no conserto de carros semidestruidos.

8 - Ronnie Peterson

O "sueco voador" tinha fama de pé pesado e pouco juízo. É considerado o melhor entre os pilotos que nunca foram campeões (e certamente só não foi campeão porque morreu prematuramente depois de um acidente bisonho supostamente causado por um erro de Riccardo Patrese, por causa da demora em ser socorrido).

Nos anos 70 ficou queridinho da torcida brasileira por ser um dos poucos que fazia todo o anel externo de Interlagos com o "pé embaixo". A diferença é que ele era o único que fazia isso num carro de ponta e bonito -- aquela mítica Lotus preta (lágrimas...).

9 - Ayrton Senna

Não sou "viúva do Ayrton" e nem "teleguiado da Globo", mas e inegável que, à parte de qualquer discussão se ele foi ou não o "maior da História", Ayrton era capaz de dar show. Rodou várias voltas sem bico (tal como o Gilles), foi segundo lugar em Mônaco dirigindo uma carroça puxada por mulas (bem, quase isso...) e teria ganhado se o Jackie Ickx não tivesse dado uma "colher de chá" para o Alain Prost. Ganhou sob chuva um GP de Portugal que emocionou o Brasil. Em 1989 teve uma temporada fantástica, do tipo ganha uma corrida e bate na outra, só não sendo campeão por causa de um episódio obscuro.

Entre outras histórias.

10 - Carel Godin de Beaufort

Nunca o vi correr, mas lendas de sua passagem pela Fórmula 1 me fazem crer que ele deve ter sido um barato.

Do alto de seus mais de 1,90m de altura, o único carro que o cabia era o obsoleto Porsche 4, que ele pintava de laranja (cor oficial de seu país, a Holanda). Tinha o hábito de dirigir descalço e certa vez treinou em Nürburgring (onde!!! sim, lá, onde os covardes cagam!) usando uma peruca dos Beatles em vez de capacete.
Teve uma morte trágica no GP da Alemanha de 1964.

O que restou do carro do carro de Carol após o acidente.

XXX

Já que é só sobre pilotos da F1, na minha opinião, faltou o Alesi, mas tudo bem. Qualquer um que faça uma lista dos “Os 10 mais Espetaculosos” e coloque John Watson como o primeiro... e principalmente, usando argumentos “indefensáveis” merece todo o nosso respeito.

Se fosse para incluir pilotos de outras categorias incluiria o Ari Vatanen e o Randy Mamola.

Fernando Ringel

Um comentário:

Speeder_76 disse...

Adorei a lista. É um dos maiores baratos que jamais vi. E se calhar eu arranjava uma forma de meter o Alsei, de qualquer jeito.


E se torcassemos o De Cesaris pelo Villeneuve, diriamos a mesma coisa. Quer apostar?