quinta-feira, 30 de setembro de 2010

F1: notas sobre o GP

+ Nota para a corrida: 8

+ Antes que me apedrejem, vou explicar. Essa foi (de longe) a melhor corrida da F1 em Cingapura. A nota 8 deve-se (também) a isso até porque mesmo sem olhar por esse lado, a corrida foi legal sim. Se analisarmos segundo os padrões históricos do Marina Bay Street Circuit então, (como diria o locutor da apuração dos votos das escolas de samba): "NOTA 10".

+ Antes de falar sobre a corrida, só mais uma coisa: pode não ser a melhor pista para se ultrapassar, mas o traçado é bom... e belo! Com certeza, esse é o GP dos sonhos dos fotógrafos da F1.

+ Dentro da pista, não sei exatamente o motivo, mas me senti bem ao ver a Sauber e ler na legenda "Heidfeld/ BMW Sauber - Ferrari". Como companheiro do Kubica realmente não deu para o alemão, mas a verdade é que Nick tem gabarito suficiente para estar na F1. Ele sempre foi um dos bons. Espero que o eclipse tenha acabado na carreira do Heidfeld.

+ De La Rosa foi embora, mas zica parece estar mesmo no segundo carro da Sauber. No popular, esse carro leva mais porrada que mulher de malandro.

+ Pior para o o Tio Peter porque o Koba, após mais uma stunning qualification acabou com as esperanças do time no guard rail.

+ É bom o Sr Peter Sauber ter mesmo um bom patrocinador na manga (como se diz por aí) porque senão, cada um desses possíveis pontos que seus pilotos transformam em carros destruídos significam menos tempo ($$$) de vida para a equipe.

+ Realmente deve existir um investidor já de contrato assinado, apenas esperando a hora certa para ser anunciado. Quem sabe a Panassonic, né seu Kobayashi?

+ Antes de falar sobre as Force India da vida, "MÉL DÉLZ"! Que desempenho fodástico do Glock!

+ Posso estar ficando louco, mas andar no bolo (sem fazer feio e sem ser desleal) com uma Virgin, em um circuito difícil como esse de Cingapura, é um dos feitos mais heróicos dos últimos tempos. Talvez a melhor performance em um carro realmente ruim desde o segundo lugar do Rubinho com a Honda em Silverstone/2008.

+ Heróico, simplesmente heróico. Torci demais por ele e talvez até por isso esse GP tenha me parecido o melhor dentre os disputados até aqui em Cingapura.

+ Bom demais para o Glock, pior para o Di Grassi (que, por "n" motivos, na Virgin anda bem a cara do Rosset na Arrows).

+ Di Grassi a cara do Rosset na Arrows = um arroz com feijão beeeeeeeem sem tempêro. Não é tão ruim, mas não tem gosto de nada, infelizmente.

+ Ainda no pelotão de trás, coitado do Bruno Senna. Ao menos teve a sorte de não se machucar já que praticamente não teve chance de frear. O brasileiro teve o azar de encontrar o Seu Koba exatamente quando o japa tinha acabado de fazer cair os últimos fios de cabelo do já hiper careca Peter Sauber.

+ PERGUNTA: alguém topa fazer uma vaquinha para que a Hispania compre uma nova suspensão para arrumar o carro do Bruno Senna?

+ FIM DAS DÚVIDAS Mode ON: atualmente, esse horrendo Hispania F1-10 é o pior carro do mundo se levarmos em consideração as categorias Top.

+ O chassis por "n" motivos é uma cáca, mas a pintura tinha que ser uma b*sta tbm? É só puxar pela memória as Simtek e as Pacific. Carros nota 0, pinturas nota (entre) 7 (e 9). É só o pessoal da Hispania olhar para o lado no grid: as Virgin e as Lotus são exemplos de que, se não dá para ser rápido, pelo menos não precisa ser feio.

+ Hispania F1-10 = "sou feio, mas tô na moda", afinal estar na F1, mesmo que em último , é estar na moda.

+ Mesmo que aos trancos e barrancos, a Hispania está em uma vitrine midiática chamada F1 (evento que abrange desde as apenas quem curte esporte até quem aprecia tecnologia, moda, etc). A F1 em termos de publicidade é meio qu um Google ambulante. Um exemplo disso foram as montadoras que encheram a categoria (e os nossos sacos) nesta década. A Honda por exemplo se dava ao luxo de desprezar patrocínio e bancar seu próprio time visando basicamente a propagando institucional gerada apenas por sua presença na F1. Sendo assim, os carros são nesse ponto de vista, comerciais a 300 km/h.

Dito isso, se não há um patrocinador majoritário e o que mais sobra na equipe é espaço na carenagem, por que não dar o devido valor a esse trunfo?

+ Entendo que alguns conseguem enxergar beleza na carenagem coberta pelo "cinza sola de tênis" da Hispania (o Verde, a Viviane Senna e a mãe do seu Carabante, kkk), mas bem ou (muito) mal, a Hispania é (ainda) uma equipe de F1. Se a única coisa que sobra no time é um espaço tão cobiçado por multinacionais do mundo inteiro, por que não criar uma promoção do tipo "faça a pintura da Hispania no próximo GP"?

+ É só puxar pela memória os lindos layouts alternativos que o Bruno Mantovani criou para as equipes de F1 no ano passado (apenas o primeiro exemplo de talento "desconhecido" que me lembrei), para ver que a beleza da pintura e os flashs estariam garantidos.

+ Mais ou menos como as pinturas diferenciadas (e de gosto duvidoso) que volta e meia a Red Bull faz (como aquela com milhares de pequenas fotos), esse tipo de promoção gera publicidade gratuíta para o time, sem falar no precioso espaço nos meios de comunicação do mundo inteiro (onde a Hispania por sempre ser a última, nunca aparece) que iniciativas como essa garimpariam.

+ Se a promoção fosse focada apenas no país onde será disputado o próximo GP (EX: no Japão, só os japoneses concorrem para escolher a pintura da Hispania), além de popularizar o time naquele país, isso facilitaria a captação de patrocínios locais.

+ Só para fechar a idéia, a Sprite está promovendo em seu site algo parecido: você cria a latinha, manda sua sugestão e, se aprovada, seu layout estampará as latinhas do refrigerante (obviamente o vencedor ganha algo além do prazer de ter criado a "obra de arte, né? No caso da Hispania, que fosse uma visita aos boxes, já deixaria qualuqer um feliz).

Pensa bem seu Carabante. "Contrata eu", rsrsrsrsr. Pode não ser a melhor sugestão do mundo, mas o que não se pode é "morrer" sem tentar. Pela originalidade, interatividade e pelo custo praticamente zero, essa iniciativa (talvez não fosse a salvação), mas no mínimo ajudaria o time a encher a cabeça das pessoas com algum assunto que não seja piadas sobre o desempenho de Bruno Senna, Yamamoto, Klien, Mãe Diná, o vencedor da última Mega Sena, etc, etc, etc ou quem possa pagar para um test drive de luxo na F1.

+ Na Force India (agora sim chegou a hora dela, afinal estamos exatamente no meio da resenha, ou seja, no meio do pelotão), Sutil fez o que pôde, marcando um pontinho. Prefiro ele estudando bem o adversário antes de uma ultrapassagem do que terminar como o Hamilton. Adrian fez o certo com o Glock e no fim das contas saiu de Cingapura com mais alguns pontinhos.

+ Sutil evoluiu da etapa que o Kobayashi, Vettel e Hamilton ainda estão: agressividade ou falta de juízo?

+ No segundo carro da Force India, nada contra o Liuzzi, mas de repente seria interessante tentar uma experiência com um Bourdais da vida, um "pop star" como o Bruno Senna ou mesmo alguém novo, tipo o Álvaro Parente.

+ Com certeza alguma coisa ($$$) segura o italiano no time, que perdeu muito em rendimento desde que começou a se envolver com pendengas judiciais (o que pode ser a explicação para um segundo carro bem inferior que o usado pelo Sutil). Te cuida Seu Mallya.

+ CURIOSIDADE: sabe como se escreve Silvio Santos em indiano? VI-JAY MA-LLYA. Portanto, apesar dos problemas, dinheiro não será lá um problema (pelo menos por enquanto).

+Na Renault, Petrov chegou a estar na frente do Kubica, mas no fim da prova o polonês passou o russo. Prova ruim da equipe, lentamente andando para trás volta após volta.

+ Na Williams, Hulkemberg foi agressivo e conquistou seus caraminguás na corrida (apesar da punição), Já o Barrica foi basicamente invisível durante todo o GP até cruzar a linha de chegada em 6°.

+ Mais um passo importante para a ressurreição da Williams, coisa que (tenho certeza), deixa TODOS satisfeitos.

+ No pelotão da frente, Hamilton, como sempre, luta contra... Hamilton.

+ Assim como em Monza, o resultado desse "combate" foi: HAMILTON LOOOOOOOSE.

+ Sobre Vettel (8 ou 80), ele está cada vez mais a cara do Paul Tracy. Veloz, agressivo, ídolo e muitas vezes... burro. Em Cingapura não fez nenhuma grande bobagem, mas a "pinta" de papa tudo está desbotando. A não ser que pegue algo do tipo "Williams do outro mundo", Sebastian aparenta ser o tipo de grande piloto que não ganha título a não ser que esteja em uma situação muuuuuito favorável

+ EX: Manssell em 92 ou Tracy na Champ Car, ganhando um título por "WO" em 2003.

+ Por essas e outras, Webber segue para o título. Essa foi a melhor corrida do australiano na Red Bull. Desde os tempos de Jaguar, Webber não dirigia assim (lembrando que ele foi o único milagreiro que conseguiu ser veloz naquela, literalmente, bela porcaria).

+ Claro, Webber foi agressivo, dentro do seu estilo (calmo). O australiano e Doctor Button seguem naquele "ritmo baiano" de sempre: devagar e sempre.

+ Se o título vai ficando cada vez mais complicado, terminar a temporada na frente de Lewis "Mclaren Boy" Hamilton, já estaria de bom tamanho, não é? GO DOCTOR BUTTON!

+ Na Ferrari, duvido que Felipe pudesse ter feito mais. No início, arriscou (como de fato tinha que ter feito) e deu sorte. Pulou para o décimo lugar, onde permaneceu mais ou menos até o final. No fim, chegou em 9°. Nada mal para uma recuperação em pista de rua.

+ Parece pouco se comparado ao companheiro Alonso, vencedor do GP, mas na verdade, em um curcuito como esse onde a missão dos pilotos é tentar sobreviver até o fim, fazer um GP inteiro atacando os adversários, com apenas uma troca, é coisa apara Chuck Norris. Só de não bater, já foi um lucro. Os pontos serviram apenas como um brinde.

+ RESUMINDO: em uma pista de rua, largar em último é quase uma pena de morte para qualquer pretensão de grandes resultados. Apesar de lutar, fica claro que o acidente do ano passado ainda repercute na pilotagem do brasileiro. É só ver como Gerhard Berger virou outro piloto após seu acidente em Ímola para perceber como esse é um processo natural.

+ Quando você se machuca, você tenta evitar, mesmo que inconscientemente, aquela situação. Coisas que só Freud explica.

+ EX: Danny Sullivan virou um bundão depois de quebrar uma perna na Indy. Após uma pancada mais forte em Indianápolis e alguns ossos quebrados (treinos/92), até mesmo o grande Rick Mears resolver se aposentar. Isso acontece com todos, até com os mais velozes.

+ Garanto que se o Peterson ou o Senna tivessem sobrevivido, em uma volta à F1, não seriam mais tão agressivos. O negócio Massa, é continuar lutando e torcer para que no ano que vem.

+ Gostaria de desejar boa sorte ao Felipe, mas se alguém nesse momento crucial do campeonato encarna o que se chama "Sorte de Campeão", esse alguém é Fernando Alonso.

+ O que faz Keke Rosberg vencer um título improvável com um carro aspirado (e nunca mais chegar perto do bi com carros turbo)? O que faz um fabuloso Stirling Moss quatro vezes vice campeão? Talvez o azarado Carlos Reutmann (o "quase" em pessoa na F1) responderia: "sorte, hermano".

Basicamente, o que separa um grande piloto de um reject é a sorte. Aposto que Timo Glock pilotou tão bem ou melhor neste ano (em relação a esta corrida), para chegar em ultimo servindo de motivo para chacota e desconfiança. Foi um acontecimento do acaso que o colocou em uma posição de destaque, uma posição desse ao alemão a mínima chance de ao menos arriscar (pq até agora, nem isso a Virgin proporcionou à seus pilotos). Glock viu a chance, arriscou, deu sorte e abraçou com unhas e dentes seus quinze minutos de fama em 2010. Gol!

Provavelmente, em 2010 mesmo, teve muito Liuzzi e Pedros De La Rosas da vida, pilotando tão bem quanto o Alonso em Cingapura, para cruzar a linha de chegada lá atrás. É como no futebol, auqnto a bola não quer entrar, até mesmo a Holanda da Copa de 74 não ganha o título.

+ Como escrevi há um tópico, "gostaria de desejar boa sorte ao Felipe, mas se atualmente alguém está com o que se chama "Sorte de Campeão", esse alguém é Fernando Alonso.

OBS: se vencer o campeonato, com uma ressurreição a lá Highlander como essa, pela Ferrari, seria para lá de épico. Mesmo assim GO WEBBER! GO DOCTOR BUTTON! GO GLOCK!

OBS2: pessoal, a resenha estava pronta, faltava apenas uma revisada no texto, mas o Blogspot FDP (não por qual motivo), não salvou o post. Portanto a resenha que fui escrevendo de hora do almoço em hora do almoço foi apagada, sniff, sniff, sniff. (Também) por isso, todo esse atraso. Sorry, buddies, demorou, mas está aí.


Um abraço,
Fernando Ringel
feringel@yahoo.com.br
@FernandoRingel ("SIgam-me os bons", kkk)

2 comentários:

Fabio Farias disse...

Fala Fernando, blz?
Vão achar q estou sendo pago pra ser advogado do cara, mas acho que a culpa não foi do Hamilton nao. Ele ja estava meio carro na frente e o Webber espalhou na curva. Tipo, nao acho q seja o caso de punir ninguem, nao gosto de ficar punindo todo mundo pq isso tira a competitividade, mas o Hamilton tinha que passar e tentou, o Webber espalhou, e ja era. Acidente de corrida. Uma pena que com essa acho que ele fica fora da luta. Mas o que ele fez com a Mclaren esse ano, um carro aparentemente pior que Ferrari e Red Bull, foi fantástico.
Abraço

Mariana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.