terça-feira, 13 de janeiro de 2009

F1 (com cara de Hotwheels) 2009



Ferrari F60
ou F2009?
_
Por Pedro Ivo
_
_
__Em mais uma tentativa de contribuir com o VEL MAX, fiz uma reflexão sobre a nova Ferrari.
_
Além de, logicamente, perceber de cara que a F60 é bem diferente da F2008 (apesar de, estranhamente, me parecer meio que uma variação em cima do modelo do ano passado, ou seja, da F2008), vemos que ela aplicou exatamente o regulamento com as mudanças previstas para 2009. Só não sei como vai ficar a questão do KERS, não só pra ela, como pra todas as outras equipes.
_
__Sabemos também que a Ferrari foi a primeira a lançar o seu novo modelo e certamente veremos carros diferentes entre si em 2008, já que, como há uma nova regra de aerodinâmica, ninguém tem como copiar ninguém, pelo menos por enquanto. Porém, a maior reflexão não fica por conta do design, que já foi muito comentado não só no blog do Capelli - onde coloquei o texto abaixo - como em outros blogs sobre F1 e automobilismo Brasil (e talvez mundo) afora. Fica sim por conta do nome, que meio que rompe com uma tradição de nomes que a escuderia do cavalinho rampante aplicou aos seus bólidos desde 2000. Segue abaixo o texto na íntegra que eu publiquei em forma de comentário no blog do Capelli com alguns aprimoramentos:
_
"Achei engraçado perceber que o nome do carro não é F2009. Não acredito exatamente que um nome ou outro traga sorte, mas basta dizer que, desde 2000, quando a Ferrari muda os nomes dos carros fora do padrão que eles estabeleceram, nem sempre o resultado é muito bom… Basta ver que em 2003, 2005 e 2006 (quando eles adotaram nomes diferentes do “F2000 e alguma coisa”) o desempenho deles foi abaixo do esperado. A única exceção fica para 2008, quando com o nome convencional (F2008) eles não levaram o título de pilotos, e mesmo assim por um ponto, que (ainda) gera muita discussão. Vejamos só (e fique atento aos nomes dos modelos!)
_
2000 - a F2000 venceu o certame daquele ano com relativa vantagem pra a McLaren
_
2001 - repetiu a dose com maior dominância, e com o nome de F2001, num ano em que a McLaren andou muito menos que se esperava e a Williams ainda estava em "re-ascenção"
_
2002 - uma temporada perfeita em q os títulos foram conquistados com sobras na F2002. McLaren e Williams não passaram de coadjuvantes e uma potencial adversária chamada Renault começava a surgir.
_
2003 - mudaram o nome pra F2003-GA pra homenagear o falecido (na época) dono da Fiat, Giani Agnelli. E por muito pouco Schumacher não perdeu o título pra Raikkonen, que mesmo com tantas quebras andou com bastante regularidade e naquele ano consolidava a expectativa de ser um futuro campeão. A Williams também andou melhor que em 2002. Foi em 2003 que Fernando Alonso foi apontado como revelação e potencial campeão.
_
2004 - mais um ano de dominância, e dessa vez o carro se chamava F2004. Esse ano, junto com 2002 foi o mais monótono dos anos de dominação dos vermelhos. Interessante foi ver a B.A.R. conseguir um vice de construtores sem uma vitória sequer.
_
2005 - mudaram pra F2004M (posteriormente para F2005, mas acho que esse "M" do lado teve alguma coisa a ver com o desempenho abaixo do esperado nesse ano e nessa temporada a Renault e Alonso deram uma surra nos vermelhos.
_
2006 - mudaram totalmente o nome deixando F-248. O carro começou mal e se mostrou melhor do meio pro fim do campeonato, mas não bom o suficiente pra permitir que Schumacher conquistasse o octacampeonato e evitar que Alonso fosse bi-campeão com a Renault.
_
2007 - com o F2007 eles conquistaram o título no aperto novamente, mas pelo menos levaram o título de construtores, mesmo que no tapetão. Nesse ano, primeiro sem Schumacher, houve mais competitividade e mais pilotos em busca do título. Além de um estreante que andou bem e dividiu muitas opiniões. Um tal de Lewis Hamilton.
_
2008 - com o F2008 perderam mais uma vez o título de pilotos (dessa vezpra o tal estreante do ano passado), mas ao menos ganharam novamente o de construtores.Será que a F60 trará uma revolução nessa relação nomenclatura-desempenho?Ah sim, e um último detalhe interessante: a Ferrari Enzo, antes de se chamar Enzo teve entre os nomes cogitados para ela o de F60, já que se trataria de uma sucessora da F50. Pelo jeito a cúpula dos vermelhos decidiu aderir à economia até na hora de escolher os nomes, kkkk"
_
X
_
O principal motivo para a criação do VELOCIDADE MÁXIMA (na época ainda sem o TOTAL) foi mostrar o outro lado do automobilismo. Um espaço para expressar um pouco dos bastidores, das entrelinhas , e acima de tudo, um espaço para a reflexão, para demonstrar que atrás dos sete títulos do Schumacher existem milhares de pessoas trabalhando com o que a maioria de nós mais detesta: matemática, química e física.
Os carros, mesmo o mais lento deles, estão muito mais perto de ser obras de arte do que muito artista hypado mundialmente por aí. Automobilismo é muito mais que as corridas, muito mais do que os meios de comunicação informam... o ótimo piloto de testes Olivier Grouillard ( e fraco piloto de corridas), entre muitos outros "perebas" apenas porque não conquistaram um monte de vitórias NA F1, são exemplos disso.

Se você tem algum ponto de vista diferente sobre a F1, uma opinião sua, pode mandar o seu comentário para feringel@yahoo.com.br. É um prazer ler e publicar o seu texto, além do quê, você me dá uma tremenda ajuda, ehehehe.

XX

Aproveito para agradecer aos que já colaboram com a gente: Pedro Ivo, Matheus Berçot, Stallone Cobra, Leandro Verde e ao Monocromático, nossos sócios aqui no VEL MAX.
_
_
Um abraço,
Fernando Ringel

5 comentários:

F1Fan disse...

E o pior de tudo que é verdade.

E por favor leia o meu blog:

http://formulaoneaddict.blogspot.com/

Comente em algum post se você ler.

Pedro Ivo disse...

Valeu pela publicação Fernando!
Vou ajudar o blog na medida do possível, sempre que eu puder.
Agora nas férias da universidade prometo mandar uns posts novos!
Abraço!

Rafael disse...

Caros...
Este lance da nomenclatura não estaria relacionada pura e simplesmente à superstição?!?!?
Senão vejamos: quando a Scuderia ganha o Título de Pilotos, o carro pro ano seguinte mantém a nomenclatura; caso contrário,o nome é trocado.
De 2001 a 2005, a nomenclatura foi a mesma, pois a Scuderia ganhou o título de pilotos. Como o F2005 não foi campeão, seu sucessor se chamou F248, que, como também não foi campeão, teve o sucessor com o nome trocado para F2007 e não F248T2 ou coisa do gênero. Este F2007 foi campeão, logo seu "filho" se chamou F2008, porém, este não foi o carro vencedor do ano e, daí, nova troca de nome: F60...

Abraços

. disse...

F1Fan,

Nossa!!! Vc tem só 14 anos????
Seu blog é recheado de coisas interessantes. Gostei. Já foi adicionado ao blogroll qui do VEL MAX.

Pedro Ivo,
Fala meu brother!!! Ficou ótimo o texto.
Obrigado mesmo!

Rafael,
apesar de estar muito mais próximo das ciências exata que do esporte, a F1 é cheia de supertições. Massa e a cueca dele, Gugelmin e seu habito de só usar capacetes reseras entre muitos outros...

Curiosamente, a única vez em que ele usou o capacete titular foi em Paul Ricard, em 89... e vcs já sabem que logo na largada o brasileiro acabou se envolvedo naquele strike, eheheh.

Um abraço e obrigado pelos acessos e comentários,
Fernando Ringel

Pedro Ivo disse...

Rafael,
Já ouvi falar muito sobre esse negócio de superstição na nomenclatura das Ferrari. E foi exatamente por isso que escrevi esse texto.
Logicamente queria também falar do novo veículo e tal, mas também queria mostrar essa particularidade da nomenclatura dos carros, que eu acho bem interessante por sinal