quarta-feira, 14 de maio de 2008

Lotus 79 - 30 anos


À 30 anos, o culpado pela aceleradíssima corrida aerodinâmica que a Formula 1 vive na atualidade estreava no Grande Prêmio da Bélgica em Zolder, no dia 21 de Maio. O belíssimo Lotus MK4, (ou simplesmente "tipo 79") guiado pelas mãos de Mario Andretti marcou a pole e a ficou com a vitória de ponta a ponta logo na sua primeira aparição. Começava ali um domínio poucas vezes visto numa temporada, com os carros de Colin Chapman rodando às vezes dois segundos mais rápido que a concorrência, com folga.

Andretti conseguiu 6 tranquilas vitórias, quase sempre escoltado por Ronnie Peterson que conseguiu dois triunfos. Sagraram-se campeões com duas provas de antecedência.

Colin Chapman e os engenheiros responsáveis por aquela maravilha, Peter Wright, Tony Rudd e Ralf Bellamy sabiam que estavam criando uma verdadeira revolução na Formula 1. Os conceitos em aerodinâmica, aplicados no Chaparral, Lotus 72 e 78 agora estavam maduros e eram levados às últimas conseqüências. No caso do 78 e 79, todo o fundo do carro foi trabalhado no túnel de vento, fazendo o carro inteiro ser uma verdadeira "asa invertida", com rodas e motor. O carro estava uma década à frente do resto do grid pegando todos de surpresa, em especial a Ferrari. O principal piloto dos italianos, Carlos Reuteman assim que viu o abismo que separava seu carro dos ingleses, começou rapidamente uma negociação para juntar-se à Lotus no ano seguinte.

O que talvez eles não previam era que a velocidade da "revolução" seria ainda mais rápida que os seus carros. Chapman era visionário, mas seus copiadores eram mais aplicados. E assim, já no ano seguinte, as cópias da Brabham, Williams e Ferrari deixaram para trás o MK4.

Mais do que apenas um carro vencedor, Chapman e a Lotus criaram um veículo que mudou toda a mentalidade do circo da F1. Eles mostraram que quem desse um passo à frente em aerodinâmica, estaria em vantagem sobre os demais. E assim, sendo dali em diante começou essa verdadeira corrida pelo carro com melhor "downforce" ano após ano, com extensas pesquisas no túnel de vento e simulações quase reais no computador.

No vídeo abaixo, Alain De Cadenet conta melhor sobre esse fantástico carro de corridas:



Lucas Peterson

2 comentários:

Guilherme disse...

Eu me impressiono com a beleza desse carro. Essa pintura da JPS...

Speeder_76 disse...

Um dos mais belos carros de todos os tempos. "Black and Gold"...